quinta-feira, 28 de maio de 2015

MOMENTO- brincando de versejar

MOMENTO- brincando de versejar

Oi, psiu! Não vais me escutar?
-Ninguém ouve minhas histórias
Que eu guardei na memória
E que ouvia mamãe contar:

O silêncio é primo do vento,
O  vento é filho do ar,
vem o ar do barlavento,
o barlavento vem do mar.

Tais contos não entendia eu,
De mamãe, uma analfabeta;
Que para todos o sol nasceu,
E a lua para os poetas.


Foste tu, mamãe, a voz do silêncio
E tua voz um doce cantar
Que chegava nas asas do vento,
Me levando pra ninar.


Egê-sp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: