terça-feira, 19 de maio de 2015

CACHOS DE DESEJOS


CACHOS DE DESEJOS

No semblante da donzela
Haviam cachos de desejo,
Prontos para mais um beijo,
Brotando dos lábios dela.

Não eram lágrimas quaisquer
Daquele rosto emanando,
Eram desejos pingando
Dos olhos daquela mulher.

Por tanta sensualidade e viço
Ao avesso virou meu coração
Inundou minh’alma a ilusão,
Doce sequela de um feitiço

Sou agora cheiro campestre 
Da flor que a noite aspira,
Do fulvo campo que respira
Uma mansa brisa silvestre.

Sou restolho de tantos eus,
Sou asas ao vento largadas,
Plumas de dor alvejadas,
Com lanças dos olhos seus.
Egê-sp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: