terça-feira, 26 de agosto de 2014

LONGE DE MINHA TERRA

LONGE DE MINHA TERRA.


Por esses caminhos andei
Nesses pedregais pisei
Ao encalço de teu amor,
Por esse areal sonhei
com teu cheiro, teu sabor.

Nessas águas me banhei,
Por aqui, foi que te amei,
A maior paixão senti
E quantas vezes eu chorei,
quantas vezes eu sorri!

Quantas vezes eu voltei
Longe daqui eu tropecei,
Vezes muitas me despedi,
Quantas, nem mais eu sei;
Muitas cartas te escrevi!...

A mocidade eu aqui vivi,
Nessas areias eu escrevi,
Versos de amor, de paixão,
Que para ti, todos ofereci,
Bulindo com teu coração.

Quanta ausência tua eu sinto,
Aquele tempo, agora extinto!
Quanta dor! Quanta saudade!
Neste verso simples, sucinto,
lembranças da mocidade.

de egê – SP
do livro poeira e flor vol III




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: