quarta-feira, 27 de agosto de 2014

ANGÚSTIA DA ESPERA

ANGÚSTIA DA ESPERA

Ah! Só um olhar por gentileza eu peço,
Quando por mim outra vez passares,
Mudaste sim, o rumo dos meus ares,
Meus olhares, meus sonhos, confesso.

Os perfumes teus respirei sonhando,
Quando te foste, bela e indiferente,
Hirto permaneci, silenciosamente,
Vendo-te na multidão te afastando.

 Ah! Não sentiste meu coração batendo,
Não me viste, como se niguém eu fosse,
Para trás deixando este ser sofrendo.

Quantos janeiros, quantas primaveras
Se passaram e nada de ti! Persisto nessa
Extrema angústia e cansativa espera?!...

de egê-sp

do ivro poeira e flor vol III

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: