quarta-feira, 9 de julho de 2014

MEU ÚLTIMO SONETO...nas finas asas de pensamentos viageiros

MEU ÚLTIMO SONETO

Nas finas asas de pensamentos viageiros,               *****
 De eternos suspiros, destas doces abstrações,
Fonte ilusória de minhas vãs e falsas razões,
Eis meu maior pesar; meus poemas derradeiros;

Não os pude terminar,desnudo de emoções;
Desvanecidas nas sombras de meus janeiros!
Quantos sonhos perdidos em ágeis ponteiros;
Relógio da vida, de efêmeras frias estações.

As palavras! Quão fáceis, e tão graciosas!
Saltitam, pululam , e furtivas se esgueiram,
Negam ao poeta as rimas mais preciosas.

Atenho-me ao silêncio de meu próprio gueto;
Sem as rimas, sem ímpeto, sem as doçuras...
Que seja este, meu então, o último soneto.

de egê- SP
do livro poeira e flor vol II.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: