sexta-feira, 7 de março de 2014

FUSOS OLHARES

FUSOS OLHARES


Aos teus tão iguais são meus anseios
À nudez dos olhares que se fundem;
O castanho que repousa em meus olhos,
Ante o azul dos teus que me confundem.

És demais, por teu sorriso me encanto,
sonho e levito nessa fome de instinto!
qual  fruto que se adoça ao calor do sol
Eu me adoço no calor que de ti eu sinto.

Chamaste-me Rei  e eu te de Princesa,
Deste-me amor em gestos estendidos,
Por entre flores andamos aos suspiros,
Redescobrindo segredos esquecidos.

Desse amor serei escravo e escudo,
Mergulhado no azul dos sonhos teus!
Ao brilho dos gestos teus candentes,
Estrela cadente que desceu dos céus.
De egê SP

do livro poeira e flor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: