terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

SONHO AZUL

  1. SONHO AZUL
    Vaguei por entre flores por ti tocadas,
    Qual borboleta fui beijando todas elas,
    Que vestidas de orvalho perfumado,
    De pétalas com sorrisos de donzelas.

    Eras uma menina de amáveis gestos,
    Que de meiguices tanto me encantavas
    E corrias por entre silvestres flores ,
    E brincavas ... e ao sorrir me olhavas....

    Disse eu, sem o talento de profeta
    Que serias quando adulta a mais bela,
    A mais bonita, com certeza foste sim!

    Adolesceste, mas migrei para distante,
    Só te reencontrei nos versos das saudades;
    Poetisa,  neles ainda te lembras de mim.

    egê- SP- do livro poeira e flor
    Ver mais

4 comentários:

  1. Respostas
    1. O que singelo escrevo, bonito se faz aos teus olhos. obrigado pelo comentário.
      Somente agora eu notei o seu comentário. Perdão.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Elvércio, este seu belo poema, que bem sei, foi escrito inspirado em nosso último encontro de décadas atrás, me tocou especialmente pela delicadeza das imagens: naturalmente eu não era tão adorável assim... mas se o poeta assim me viu, quem sou eu para contestar!!! Muito obrigada.

      O JOVEM POETA

      Por que me viste?
      Assim tão pequenina, tão tímida
      No meio de tanta gente bonita
      De vestidos de seda e laços de fita?

      Porque me lançaste um olhar?
      Moveste todo o universo
      Criaste uma história sem par
      E nem percebeste teu gesto

      Desdém para uns, que importa?
      Gravado na teia, na alma e no ser
      Pelos versos de um jovem poeta
      Que só ele poderia ler...

      (Aparecida Duque - fev/14)

      Excluir

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: