quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

À MINHA MUSA

À MINHA MUSA

FOI GRAÇAS AO TEU RISO DE TAMANHA GRAÇA. 
GRAÇAS A DOÇURA DESTE TEU FURTIVO OLHAR, 
QUE EMBRIAGADO AO TEU AMOR EU ME RENDI...
FLOR EM SEGREDO SOBRE SENDAS A DEBRUÇAR. 

O BRILHO PECULIAR TÃO PURO EM TEU ROSTO
TÃO MEIGA VOZ O MEU NOME A PRONUNCIAR...
DESCUBRO QUE TUDO ISSO ME FAZ REFÉM,
QUAL UM PÁSSARO PRISIONEIRO...MAS A CANTAR.

TERÁS CURVO A TEUS PÉS ESTE VELHO POETA,
TER-TE-EI MUSA EM MEUS POEMAS SINGELOS,
GRITANDO TEU NOME NAS MAIS FÉRVIDAS TROVAS.

SINTO-ME OUTRO NO REFLEXO DE TEU OLHAR,
SENDO MAIS QUE TUDO AGORA POR TI AMADO,
DAR-TE-EI DO MEU AMOR CONTÍNUAS PROVAS.

DE EGÊ – SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: