domingo, 5 de janeiro de 2014

RESTOS DE SENTIMENTOS

RESTOS DE SENTIMENTOS  
Pervago a estender meu grito além das pedras, a sulcar sem medo as léguas dos mistérios...socavas de interrogações... ventríloquos confusos, burbúrios – Espectros, como eu, com feições de fugitivos, na obviedade da dor.
  Bobagem! É tolice continuar assim. Tenho que mudar e preciso de um sorriso que me faça recrescer, “ressurgir de cruzes depredadas” . Quero um olhar a rir-me a graça, fazer-me a degustar o orvalho de minha própria vida...renascer! Ir em frente enquanto a vida avança.
Não me recordo do último Natal! Juro que vou me calar para ouvir o coração dos sinos.
   Calo-me para não dizer mais sentimentos!  


De egê Valadares SP 05 de janeiro de 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: