domingo, 24 de novembro de 2013

SEM STRESS

SEM  STRESS

Sobre o velho catre, cansado de lamúrias,
Sorvendo os lábios da morte a suspirar,
Resmunga as dores do corpo envelhecido,
Pseuda vontade de viver, não quer falar!

Cercam-no aqueles que talvez o amem,
Dentre tais, estúrdios alguns lamentam,
O doutor as pressas apalpa-lhe os punhos;
É o Stress e depressão que o atormentam.

Resignado o ancião em seu mutismo,
Reluta acanhado em não querer falar,
O que de fato lentamente o consome,

Doutor! Não quero remédio para dor;
Não tenho stress, não tenho depressão,
O que eu tenho doutor, é fooooooome!

Do livro poeira e flor vol II



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: