terça-feira, 1 de outubro de 2013

MONJOLOS DE MINHA INFÂNCIA

  1. MONJOLOS de minha infãncia
    De garoto eu trago um sorriso donzelo,
    Singelo. De saudades amargas, mas puro!
    Da dura e infantil luta ainda me lembro;
    Palmilhando veredas de destino seguro.

    Longínqua infância imberbe e saudosa,
    Ancestrais lembranças que não esqueci;
    Nos areais deixei sentimentos grafados,
    Poemas de estrelas, com quem convivi!...

    Se não fossem as saudades tão amargas,
    Não cantaria a beleza daquele lugar;
    Saudades trago no aroma dos versos...
    Saudades estampadas na tela do olhar.
    Do livro poeira e flor vol II

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: