domingo, 27 de outubro de 2013

AOS SORRISOS DE MEU PAI

AOS SORRISOS DE MEU PAI.

Uma homenagem ao saudoso Humberto Zille,
Em nome de sua filha Magda Zille.

Graciosa alma que na face revelavas...Meu pai !
Em teu mundo sem fronteiras, sem limites para sorrir...e sorriste,
Mesmo na disfonia do timbre que envelhece...  
na fecunda vida que te inspirava a alma!
    E é assim! Às gargalhadas que dispensavam história e idades,
Contadas em fios de prata que o tempo decrua... janeiros grisalhos,
bastando-te uma acanhada porção de euforia,
fazendo o mundo conspirar a favor, aos sorrisos de riquezas!
Ah... Meu pai, em festivos e inebriantes momentos de graça,
em renovada e vibrante jovialidade, renascias na plenitude da essência,
De  fagueiras gargalhadas, que, cansadas de alegrias,
a  oeste desmaiaram no mutismo  de Saudades.

Do livro poeira e flor vol II


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: