domingo, 13 de outubro de 2013

AMOR DISTANTE

AMOR DISTANTE

Cada vírgula, cada palavra, cada frase
Eu deletreio na mensagem recebida!
Aos teus tão iguais são meus tormentos,
Vale a dor de tanta solidão sentida?!...

Não sei! Não sabes! Assim continuamos,
Seguindo, nos amando, mesmo distantes!
A contagem dos minutos de ansiedades,
Em nossas vidas sentimentos estuantes.

Gorjeando a dor nestes  meus poemas tristes,
Tufado de amor, porém murcho de esperanças!
Com que sabor a esta solidão me prendes?!...

Quanto  nos perdemos no que foi certezas,
Vais imergindo em minhas  ternuras inúteis...
Nosso amor vai se perdendo nas tardanças.

Do livro poeira e flor vol II



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: