segunda-feira, 23 de setembro de 2013

MINHAS QUATRO ESTAÇÕES....

MINHAS QUATRO ESTAÇÕES

 

VIVENDO EM TUDO ABISMO DE INCERTEZAS,

AOS SOLAVANCOS DE TÃO CRUEL SAUDADE!

ELA SE FOI, SEM ADEMANES, SEM DESPEDIDA,..

DO INVERNO, AO FRIO DE MINHA CURTA VAIDADE.

 

INCERTEZAS QUE PARA LONGE ME ARRASTAM, 

,POR DESCAMINHO ENTUMESCIDO DE ILUSÕES...

VOU ME TORNANDO NOITE SEM MEUS DIAS.

PERDENDO FORÇA DE MINHAS INSPIRAÇÕES.

 

MEU SONHO, AINDA POVOAM ELOS DE AFETO,

NAS LONGURAS DE PASSOS POR ACONTECER...

NA REBUSCA DO AMOR QUE O TEMPO SUCUMBE,

DEMANDA SACRIFÍCIO, CAMINHOS A PERFAZER.

 

MAS AO CHEGAR DE MINHAS PRIMAVERAS,       

QUANDO TUDO SE TORNA MAIS COLORIDO;

ESPERANÇAS QUE SE FORAM SE RENOVAM,

MEU TRISTE OUTONO VAI FICANDO ESQUECIDO.

 

 VOU PINTAR DE VERÃO A MINHA ALMA,

ESCANCARAR UM SORRISO EM MEU ROSTO,

UM NOVO AMOR, TALVEZ, TAMBÉM MEREÇA,

 DESTECER ESSA CORTINA DE MEU DESGOSTO.


 do livro poeira e flor vol II

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: