sábado, 13 de abril de 2013

CHEIRO DE FLOR





CHEIRO DE FLOR

Moro num calmo recanto
Todo enfeitado de cores
Há regatos bem cristalinos
Vibrando por entre as flores.

Minha cabana pequenina,
Miudinha até demais,
Ao sopé de uma montanha,
Cercada por coqueirais.

Não tenho água encanada
Bebo água no ribeirinho...
Ouvindo cantigas de vento
E cânticos de passarinho.

Sorvo o perfume das flores
Que derramam das colinas,
O cheiro do mato eu trago
Entranhado nas narinas.


Gosto do cheiro das flores
Perfumando a natureza,
Mas prefiro o perfume da rosa
quando em teus cabelos presa.

Do livro poeira e flor vol II


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: