sábado, 9 de março de 2013

UM PEDIDO.


UM PEDIDO

Fingir que não sofro é sofrer bem mais,
Por isso me exponho nessa ortiva prece...
Tornando em verso cada gota amarga
De minh’alma que dos meus olhos desce.

Fingir que não quero o teu amor de volta,
Escondendo a dor que me rasga a calma,
Nasce em mim um insano a cada instante...
Longuras de minutos que me devoram a alma

Em bêbadas madrugadas preso a esperanças,
Vendo-te ressurgir em meu mundo escuro
Trazendo alívio pra essa dor cortante,
Constante afogo de meu amor tão puro.


Agonizar o grito deste meu febril desejo,
Devolver o riso a este rosto que viste chorar
Naquela madrugada em que tu te foste,
E agora, nas insossas noites a te esperar.

do livro Poeira e Flor vol II

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: