sábado, 16 de março de 2013

CEDO PARA SE AMAR...se a espera for-te algum...


Se a espera for-te algum tormento,

dize o quanto amar-me anseias...

Se ainda te uma esperança resta

nos teus claros olhos que pranteias.


Em  tua alma  de luz mais pura        

que transcende a do divino sol,

Queres-me assim impuro ter,  sem

 brilho, sem nobreza, sem crisol ?

 

Aos teus tão iguais são os sorrisos

das flores despertando ao aurorecer ...

Aos meus tão iguais são os desejos

de quem anseia por algo sem merecer

 

Vou assim amealhando meus impulsos,

no temor de não seres correspondida,

o amor as vezes reserva muitas  insídias

pelas ignotas veredas  de nossas vidas.


O tempo pode guardar a melhor resposta...

Em sussurros dizer o quanto amar-te hei...

Num caminhar a dois te cobrirei de beijos

e num amar sem cura a ti me renderei

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: