segunda-feira, 5 de novembro de 2012

PRECISO DE UM SORRISO


PRECISO DE  UM SORRISO!...
Resolvi por um tempo aposentar essa cara feia que há décadas me acompanha e me incomoda desde quando nasci. Peguei o telefone e liguei para um grande amigo que nunca vi triste e tampouco aborrecido. Fosse qual fosse a situação, meu amigo Paulo estava sempre alegre e pronto para um sorriso...não lhe custava nada!... e foi assim que tentei em breves palavras lhe dizer que eu precisava sorrir mais, assim como ele, pois queria mudar meu perfil, ser diferente talvez! Precisava ser mais agradável para com as pessoas, pois lidava com clientes importantes
     Calmo e solícito, como sempre, passou-me alguns truques que poderiam me ajudar e que depois tentei assimilar em casa, trancado no banheiro, é claro!
    Quando estava no escritório, tentei a nova experiência de aprender a sorrir mais facilmente; parei em frente ao espelho e comecei uma série de palhaçadas de que não achei nenhuma graça. Tentei de novo e nada. Fiz caretas e nada. Acabei por desistir de tais tentativas recomendadas por ele. Não tinha humor suficiente para me tornar um sujeito risonho e não estava preparado para rir de mim mesmo.
Resolvi ligar novamente para o meu amigo, pois achei que algo havia de errado comigo ou com o caboclo do espelho! Paulo com toda sua presteza observou que poderia ser o tamanho do tal espelho-muito pequeno talvez, pois para fazer esse tipo de treinamento, faz-se necessário o uso de um espelho maior, da altura do aprendiz.
    Agradeci pela farta gentileza e resolvi passar numa loja e comprar um espelho pelo menos próximo da minha altura. Levei-o para casa, sem nada dizer a ninguém o porquê daquela aquisição. Tratei de escondê-lo no banheiro e aguardar pelo momento do banho- ficando mais a vontade.
Com calma, tomei minha caipirinha costumeira, pensando seriamente no assunto, pois queria mudar essa cara feia e carrancuda de um cinqüentão.
O bicho homem é por vaidade uma anta ( ou pavão?), dado a certas peculiaridades, às vezes sem importância, deixando de se preocupar com coisas mais importantes para viver melhor, mas as vezes deixa passar certas falhas que alguém percebe e não comenta justamente por achar ridículo comentar.
    É  provável que aquela caipirinha tenha interferido no meu comportamento ao me despir diante daquele espelho horrível - devo ter comprado o espelho errado, não é possível, pensei. Eu não pedi ao lojista um espelho côncavo e nem tampouco convexo pra começo de história! Eu só sei que quando me pus diante do sujeito do espelho, algo muito errado estava ocorrendo, mesmo sabendo que há muito eu não me via assim; nu e diante de um espelho tão grande. Juro que não me conformava com o que estava vendo...horrível!
Ao observar cada detalhe de meu lindo corpo de outrora, jamais imaginei deparar-me com tamanha mudança - pra pior, é claro! E se mulher eu fosse, jamais me casaria, pois o bicho homem é feio, feio de doer.
     Comecei então a achar graça dessas mudanças e que não eram poucas e comecei a rir, rir e rir...ri muito! E foi assim que uma crise de riso tomou-me conta, diante de tanta feiura  ..ridículo até! Esquisito! Esquisito de frente, esquisito de lado, esquisito...tive ali então uma crise de risos.
Mas se isso não bastasse, à noite eu sonhei que estava rindo e rindo sentei-me na cama e continuei a rir. Estava simplesmente sonhando.
Minha esposa acordou, perguntando-me por que estava rindo, o que havia acontecido?! Então disse a ela, ainda sonhando, que havia comprado o espelho errado e que não era possível ser eu tão feio daquela forma.
Ela, abraçando-me, carinhosamente, disse: amanhã mesmo, eu vou até a loja devolvê-lo, e dizer ao lojista com todas as letras, que isso não se faz a um homem tão belo e elegante como você!...


do livro poeira e flor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: