sexta-feira, 5 de outubro de 2012

PERDI...perdi quando deixei de ouvir...


PERDI !...
Hoje dedico este conto ao meu saudoso sobrinho Geraldo, falecido nesta data.

 Perdi quando deixei de ouvir o meu avô contar suas histórias de vida, relembrando sua juventude!
   Perdi quando deixei de lutar pelo meu primeiro amor e quando me descuidei ele havia sido apanhado  por uma doença misteriosa vindo a falecer.
   Perdi quando ao perdê-lo, perdi também o meu sorriso.
   Perdi quando achei que criticar era melhor que me calar, mas perdi quando me calei no momento de elogiar, de apoiar, de aplaudir, de comemorar.
    Perdi quando deixei de dizer aos meus melhores amigos que eu os amava muito, amava-os demais, principalmente àqueles que já se foram, deixando uma profunda marca de saudade em meu coração.
    Perdi quando achei que o dinheiro estava sobre todas as outras coisas e o ter era mais importan-
     te que  ser.Agora não tenho e nem sou.
    Perdi quando subi no muro e nunca mais desci de lá.
    Perdi quando no momento de dar um conselho eu me ausentei.
   Perdi quando silenciei meu grito e nunca mais se ouviram os meus protestos.
   Perdi quando segui o mesmo caminho que os demais.
   Perdi quando me tornei independente e achei que nunca mais precisaria de alguém.
   Perdi quando subestimei as qualidade de meu pai e hoje descobri que não cheguei a seus pés.
   Perdi quando resolvi brincar com o sentimento das pessoas que mais me amavam e admiravam.
   Perdi quando joguei no lixo a minha razão, a minha verdade, a minha dignidade, em troca de minhas vaidades pessoais e valores materiais.
   Morri! Morri quando deixei de sonhar!...

do livro poeira e flor  vol II

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: