domingo, 21 de outubro de 2012

O ADOLESCENTE E A PROSTITUTA...tendes em mim


O ADOLESCENTE E A PROSTITUTA

Tendes em mim um rio claro e corrente,
Em tão limpas e claras águas vos banhais,
Na melíflua plenitude da minha inocência,
 De desejos ungida , desnuda mergulhais.

Descobris o submerso em frenéticas emoções,
Seduzida pelo encanto que tanto vos atrai...
Esmero de delícias ofereceis-me fartamente,
No gozo que me inebria... na pureza que se esvai!

Achegais a mim vossa doce e trêmula boca,
Atreveis, indômita, insaciável e tão voraz,
Entregar vossas ternuras ao meu verde adolescer...
Sensualidade florescente do pejo que se desfaz.

Dardejam-vos do olhar libidos flamantes
No dolo que vos inebria e vos sacia também,
Deleites que não sonhei, vosso corpo me faz sentir...
Graciosa tão sensual como vos nunca viu alguém.

Hirto aos dolos que dos vossos desejos afloram,
Que me levam a loucura e delírios que transcendem
Conflitos, imaginações de um menino adolescente...
Agora aturdido, escravo das delícias que me prendem.

Do livro Poeira e flor vol II


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: