domingo, 24 de junho de 2012

POETA MENINO...menino que o tempo não obedece...



Menino que o tempo não obedece, 
Que brinca de herói sobre corcéis
Alados, com um motivo em cada riso,
Pulsando no fremir de seus tropéis.

Dispara de camisa ao vento aberta,
Sorve o cheiro da poeira esvoaçada,
Sente o chão voando sob seus pés,
No lombo de emoções em disparada.

Envereda por encostas e reentrâncias,
A galopes nas asas de seu destino
Na alma palpitam doces  poemas
Na plenitude dos sonhos de menino.

Resvalando nas aléias que ramalham 
ao vento que sussurra a desoras...
aos seus tão iguais foram os anseios
dos poetas eloqüentes de outrora.

Renasce um poema nesse instante
Ao descobrir  em cada flor a poesia,
Então verseja rabiscando sentimentos
Nasce um poeta no calor dessa magia

do livro Poeira e flor...deste autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: