sábado, 7 de abril de 2012

SAUDADE DE ALGUÉM...talvez um dia eu de tudo saiba...


Talvez um dia eu de tudo saiba,                 
Saiba, quiçá, o que seja saudade...               
Livrar-me da agrura, dessa crassa dor...
Dessa aguardência ... cruel soledade!

Há pessoas que ao por nós passarem,
Nada nos levam, pouco nos deixam...
Deixam marcas, ao partirem outras,
Quando os nossos corações se queixam.

Se a isso pode-se chamar de saudade,
Que de mansinho, minha alma inunda,
Em  mim tocou alguém que se foi...
Plantando em mim essa dor profunda.

Se é agrura ou não, ou aguardência for,
Dói-me muito esse sentimento louco,
Se saudade for o que desse alguém eu sinto,
De tal saudade eu morrerei aos poucos.

escritoe registrado em nov de 2010
do livro Poeira e flor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: