sábado, 1 de outubro de 2011

SEGUIR nos misterios que eu revelo, com meu jeito de sorrir...

Nos mistérios que eu revelo, com meu jeito de sorrir...
Nos amanhãs de minha estrada, sem o medo de partir...
Sem o medo da chegada, vou recompondo a minha vida,
Vou redescobrindo atalhos, rejuntando meus retalhos,
Vou falando com as flores, reconhecendo amores que não posso levar.
Vou conhecendo dores que eu possa suportar.
Sigo regras do caminho, sem nunca olhar pra trás.
Vou ao encontro do meu sol, de minha estrela nascente,
Regadas com gotas cadentes do orvalho que vem do céu...
Com gosto de lágrimas e sereno, molhando a aba de meu chapeu
Vou seguindo em frente, vou cortando estrada,
Tudo é quase um nada nesse universo.
Apagando rastros, vou fazendo verso
Pra eu não chorar, pra eu não ficar,
Pra eu não voltar com alma ferida,
vou despertando o canto que celebra a vida,
Falando com o vento, ruminando idéias, devorando o tempo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: