domingo, 3 de julho de 2011

OS BRUTOS TAMBEM AMAM


Resvalas atentos teus olhos sobre mim, no eu que resido em cada palavra, que viajo em cada frase, em busca de minha própria descoberta que suponho ter encontrado.Relatas surpresa o que encontras na aquarela de meus sonhos e me propões uma paixão de modo ensandecido. Deixas-me louco e me revelas tua face de mulher poetisa; queres-me apenas no versejar ou nas ilusões dos meus sessenta, quando certezas já não há? Queres a sede que te mata, saciá-la? Queres sentir o gosto do suor sobre os lençois e viajar no submerso de meus sentimentos? Queres o amor de um homem embrutecido que se diz não saber amar, agasalhado nos pedaços de poemas sem cor; um sonhador? Queres enfim tirar-me a suposta máscara e conhecer meu rosto encarquilhado e envelhecido? Consegues amar um selvagem sedutor, bruto como os granitos de rochedos?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: