domingo, 24 de julho de 2011

MALEDITA

Não me contaste  a intenção daquele olhar, deixando-me confuso, sem ter o que dizer! Depois!... Depois o toque sutil ao passares por mim!... O assédio, a provocação, a sutileza assaz ... Depois um sorriso moleque de gente desprendida...sem compromisso com a vida!...Depois sumiste, deixando-me atulhado em  dúvidas, questionamentos, ansiedades!...

Também!.. Tão soberba não me disseste quem eras, de onde vieste e pra onde ias, desnorteando  os meus sentidos ! Nenhum sinal pra eu entender o vento que te levava, sua direção! 

Não me deixaste a esperança e nem promessa e nem teu nome eu sei! Não me disseste o quanto machuca o ausentar, a dúvida do separar, as incertezas do não vir, a pureza do esperar! Não me disseste se valia sonhar, perambular, vadiar, procurar! Também não disseste se valia o grito ou o pudor, se valia a pena sofrer ou esperar pelo depois!

Pensei...pensei...e  fiquei a curtir a tua ausência nessa dor que me confunde, me colore de mistérios o meu pequeno mundo e então pergunto: Quem eras tu menina que deixaste apenas num único toque e num olhar, dilacerar o coração de um homem tão calejado de falso amor?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: