domingo, 5 de junho de 2011

PENSEI BEM.

Saudade da chatice do catecismo, da minha primeira comunhão, esfregando descalços meus pés rachados na poeira dourada de minhas ruas, dos provérbios educativos, dos conselhos, minhas estradas boiadeiras, um berrante zangado chamando a boiada, a luz frouxa pendurada no poste da esquina vinda de um velho gerador barulhento...o mesmo que tocava o moinho de fubá.Saudade de todos os professores que me passaram um pouquinho do saber. Aquele tempo em que o professor era chamado de senhor e a professora de senhora fulana, eram seres estimados e respeitados e quando falavam, nós alunos nos calávamos pra ouvir. Quando nós alunos cometíamos qualquer indisciplina, nossos pais morriam de vergonha e íam até eles pedir desculpas em nosso nome! Quanto tempo! Estavam eles sempre nos pedestais de nossos conceitos...semi-deuses para nós. Sempre que nos encontravam era um cumprimento super amistoso acompanhado de uma passada de mão em nossas cabeças, passando-nos segurança, carinho, atenção e superioridade. Nossas mães mandavam bolos, queijos, doces de leite para aqueles mais atenciosos.
E hoje? Como anda essa coisa de criança respeitar professores, e professor respeitar aluno? Estou voltando pro MOBRAL,quero ver!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: