domingo, 5 de junho de 2011

DE VOLTA PRAS GERAIS.

Cidade crescendo,cidadãos individualistas, materialistas...trânsito insuportável, congestionamentos, radares multando desenfreadamente em cada esquina, consumidores, traficantes e autoridades de mãos dadas distribuindo uma nova qualidade de farinha (mortífera), o tempo voando, o homem irreconhecivel em suas atitudes...pego meus paninhos de bunda, arrumo minha velha mala feita de couro cru...aliás; aquela mesma mala que me acompanhou quando vim das Gerais há quatro décadas com uma muda de roupas e um velho cobertor roído pelo tempo...(tempo maldito e tão eterno) e a cabeça cheinha de sonhos...lindos sonhos! lembro-me bem quando desci daquele velho trem com cheiro de mijo na estação da Luz. Coisa de doido...que tristeza...sem um tostão no bolso, nem pro café, pelo menos pra tirar da boca o travo amargo da solidão! Mas alem de mim, havia um amontoado de outros jovens, talvez até com suas situações piores que a minha, pois eu trazia sonhos! Eles nunca mais vi, mas quanto a mim...continuo sem dinheiro e sonhando...tentando descobrir onde é mesmo que fica a tal da estação da Luz!...Êta vontade de vortá pra lá!...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: Se você não é nosso(a) seguidor(a) e deseja deixar uma mensagem, escolha abaixo "Comentar como ANONIMO" e clique em PUBLICAR.

Escreva seu comentário abaixo: