domingo, 11 de outubro de 2015

O CABOCLO E A INTERNET...em cartas para Marta.

O CABOCLO E A INTERNET.
Em:
Cartas para Marta.........

Por que?!
Por que minha querida Marta,
Não volta a me escrever, se eu ainda moro
No mesminho lugar?!

As cartas que me escrevia demoravam!....
Demoravam!....Atrasavam...mas chegavam,
Mesmo debaixo de sol, de chuva ou di luar.

Eu sem pressa lia.
Lia, relia...com toda minha devoção,
Só pra ver se o coração, 
este meu velho coração
Táva ainda no lugar!

Nas cartas que me escrevia,
Meus próprios olhos sentiam
Um grande momento de amor!
Hoje as notícias  são  frias,
Não tem mais aquela alegria,
Nem tampouco muita dor!...
Elas chegam por outra via
Por uma tal de internet, é engraçado!...
Vem sempre com endereço errado!

Essa tal de internet!
Arroba(@) ponto com. BR é o que me faz desacreditar,
Pois mesmo morando em meu rancho,
Eu me sinto noutro lugar!

Arroba(@) pra mim é medida de peso, pode até me caçoar!
BR pra mim é rodovia que leva o caboclo em agonia
Fugir pra outro lugar!

Então eu lhe peço minha querida Marta,
Quando escrever outras cartas,
Escreva com suas próprias mãos...
Mande pelo mesmo correio,
Pois este é o único meio
Usado aqui no sertão!...

Óh, minha querida Marta!..Eu?!...
Eu só quero me desculpar!...
Me desculpar com muito apreço!...
Pois essa tal de Internet...
Nunca...nunca soube o meu endereço!...

do livro POEIRA E FLOR    autor; ege valadares



MENTIAS PARA MIM

MENTIAS PARA MIM

Farei por esquecer cada beijo teu,
Não mais sonhar com a irrealidade,
Imaginando fosse tudo verdade
o que tua boca vezes prometeu.

Farei por esquecer a inquietude
Que me envolve e me atormenta,
Sufoco que o coração não agüenta,
A alma ficando cada vez mais rude.

Roubaste-me o sol de meus longos dias
E ficaram mais escuros meus caminhos
Ao ver mentiras em tudo que me dizias.

Farei por esquecer todos teus carinhos,
E só, te deixarei com tuas fantasias...
Se chorares...choraremos sozinhos!
De egê Valadares

WWW.poeiraeflor.com.br 

terça-feira, 6 de outubro de 2015

A PRIMEIRA VEZ

A PRIMEIRA VEZ

 

Um olhar quase ingênuo, despretensioso...

O flerte penetrante, sorrisos, manifestos,

Corações palpitantes na dança dos gestos;

No delírio dos olhares um sonho sequioso.

 

Corpos que se achegam apaixonadamente

Pelas mãos que se entrelaçam com ternura,

Olhares  que se confessam com a brandura

Do tímido abraço no toque adolescente.

 

Ficar somente não satisfaz as calorosas

Gulas que entorpecem, refertas de paixão...

Sequiosos se esfregam, se entregam na fusão,

Nus, se completam nas delícias voluptuosas.

 


egê Valadares- SP

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

A MULHER QUE EU AMAVA

A MULHER QUE EU AMAVA.

Aos mimos da mulher que eu tanto amava,
Não mais ouvia o tic-tac de seu coração,
Nem os ponteiros acelerados da paixão
Que tantas vezes ao beijar-me murmurava.  

Cativava-me com mentiras de promessa
E com seu sangue aquecido de amante,
Sem perceber que a perdia a cada instante
E que meus sonhos derruíam tão depressa.

Submerso na vertigem  desta desventura,
Expressa dor e mágoa na feição carrego
Em busca de remédio pra esse mal sem cura.


Para dentro de si ela voltou seu mudo ego,
Única forma de trancar sua loucura,
Justificando, incólume, o seu desapego.

Egê Valadares- sp

 

sábado, 3 de outubro de 2015

AFRICA, TE AMAMOS...

ÁFRICA, TE AMAMOS

Sobre a carcaça negra o encontro de todo o grito,
E nas mãos de palmas claras, calos de raiz profunda.
E a terra negra se curva sobre o ventre e se inunda
De lamentos, e geme a dor no ventre teu constrito.

É teu o silêncio na amargura de outros rostos
Que se recolhem no labirinto dos esquecidos,
 Murmúrios com sabor de caminhos percorridos,
África, haveremos de apagar os teus desgostos.

Carregas nos trapos o cheiro ácido das batalhas,
Nas savanas as cinzas ásperas da vil submissão...
Expressas mágoas de sórdida, brutal servidão,
Teus ossos clamas no silêncio das mortalhas.

Lutaste como espartana contra poder e espada,
Buscando construir teus sonhos de tórridos areais                                   
Despertaste aquém das horas mortas dos imortais,
Incerteza do destino; falsas vitórias, guerra inacabada.

O olhar descansa na pele rugosa do tempo infindo;
Corpos tombados, estendidos na secura  das savanas,   
De cicatrizes ainda profundas de ferinas durindanas...
E continuas batucando,dançando, cantando e sorrindo.

ÁFRICA,nós te amamos...

De egê Valadares-sp ---www.poeiraeflor.com.br



quarta-feira, 30 de setembro de 2015

DESATA TUAS TRANÇAS


 DESATA TUAS TRANÇAS


 Desata tuas tranças quando o dia entardecer,

Sorria um sorriso lindo, por aí chegando estou.

Levo-te um buquê de rosas lindas e perfumadas,

 Abro-te meu coração e ofereço-te muito mais

que o muito com que já sonhaste,

 dou-te minhas asas e o espaço

de nuvens... de tua imaginação,

a reverência do infinito a beijar- te os pés.

Depois? Depois aprisiono-te no meu mais oculto desejo...

nos incólumes interstícios da minha alma!

Vamos seguir a dois, falar de nós,

tecendo nossos erros, desfazendo nossas culpas.

Abro-te o coração e ofereço-te ainda mais, muito mais!...

 

De egê-sp  

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

TOCAS-ME

TOCAS-ME


Por que me tocas novamente,
Com novos repertórios, outros argumentos?
Não vês que nem és mais a pessoa que conheci,
E que teus sonhos mudaram, são outros, apenas obsessão?
Que tuas mão dantes trêmulas de emoção, hoje são frias?
Que o teu doce e cativante olhar agora lampejam cifrão?
Que os nossas horas de plena ternura se tornaram vazias?
Então o que dizer do teu ex doce coração?!
  Ah, sim! Tantas coisas mudaram!  Eu fiquei mais comedido e triste
E o medo é o meu maior companheiro,
A noite me abraço ao travesseiro
E aos retalhos dos perfumes que ficaram,
E até as paredes que eram mudas já choraram.

De egê Valadares- sp